A era do EP e do imediatismo nas plataformas

A era do EP e do imediatismo nas plataformas

A era do EP se tornou o formato mais utilizado pelos artistas, para fazerem um lançamento de músicas. Durante muito tempo, muitos eram contra o formato, porque ele restringe a criação e deixa você limitado a quantidade de músicas para obter um resultado mais rápido e simplesmente não desenvolve uma linguagem de um projeto como ouvíamos antigamente.

Hoje em dia o público não quer mais saber, querem instantaneidade, querem o conteúdo em suas mãos, assim como os artistas que querem o obter o resultado rápido e não estão se preocupando muito em desenvolver um projeto do começo ao fim e desenvolver uma identidade musical.

Mesmo os artistas gravando CDs e DVDs, as gravadoras pegam esses projetos e lançam em forma de EP, dividindo o projeto em várias partes. Até os artistas que não tem gravadora, estão lançando seus projetos em EP. E hoje em dia os artistas não vazam mais músicas, antigamente os próprios empresários vazavam as músicas e hoje não acontece mais porque o engajamento pode despencar. Então, hoje em dia a gente perdeu a oportunidade de ouvir uma música nova, antes de ser lançada de forma oficial, pois se eles vazarem antes de lançar, as plataformas derrubam o engajamento.

As plataformas só deixam o engajamento dos artistas lá em cima, se eles disponibilizarem primeiro as músicas em suas plataformas, hoje em dia os artistas têm receio de lançar suas músicas até em rádio, antes das plataformas, para não perder o engajamento. Mas qual o motivo de isso acontecer? Os algoritmos das plataformas engolem as músicas, eles simplesmente não entregam para o público e com isso o artista fica sem engajamento nenhum.

Outra coisa que as plataformas dificultam cada vez mais, são os lançamentos cheios. Você lançar todo seu álbum, dificulta muito no engajamento, por isso as plataformas pedem a entrega de uma música por semana, para manter o engajamento lá em cima. Mas isso tem um motivo, não adianta lançar 15 músicas de uma vez e ficar 3 meses sem lançar nada e com isso o engajamento dele vai despencar novamente. Você precisa criar conteúdo para as plataformas, para não cair no esquecimento do algoritmo.

Os artistas vêm lançando também, as músicas que eles cantam nas lives, claro que eles deixam mais produzidas para lançarem nas plataformas, fazendo com que tenham sempre um lançamento semanal e deixando o engajamento em alta.

Porém, tudo isso vem escravizando a gente, nos deixando refém disso tudo. Eles mandam a gente fazer tudo através dos algoritmos e a gente obedece, infelizmente não tem outra forma, não tem outra forma de trabalhar com música nesse momento. Mas é claro, se o artista tiver como sobreviver de outra forma e viver a música apenas como arte, ele pode buscar outras formas para trabalhar. Mas quem buscar trabalhar de forma comercial para ter um retorno financeiro, essa é a forma ideal.

Querendo ou não, os artistas precisam passar por todo esse processo, lançar música por música, ter suas músicas em playlists e buscar um engajamento. A melhor forma é recorrer ao lançamento de EP.

Douglas Inácio
Douglas Inácio
Douglas Inácio é empreendedor / infoprodutor paulistano, formado em Publicidade e Propaganda Pela Universidade São Judas Tadeu. Consultor de marketing com mais de 8 anos de experiência. Palestrante. Autor do Livro Youtube Para Música e criador dos cursos Marketing Sertanejo e Youtube para música. Já participou da fundação de diversas empresas de sucesso e atualmente se divide entre suas 2 empresas, uma em São Paulo (Produtora Quality) e uma no Ceará (Gráfica Fortaleza) é também empresário do cantor Marcello Vox. Sua paixão é compartilhar conhecimento na internet nos temas de desenvolvimento pessoal, marketing e empreendedorismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *